fbpx

Certificado pelas principais associações dos Estados Unidos

Hipnose clínica na cura de fobias

fobia

Medo de dentista, avião, altura ou baratas. Entenda como as pessoas têm conseguido vencer as suas fobias com o auxílio da hipnose

O sangue corre para os músculos do esqueleto, como os das pernas, facilitando a fuga; o rosto fica lívido, já que o sangue lhe é subtraído (daí dizer-se que alguém ficou ‘gélido’). Ao mesmo tempo, o corpo imobiliza-se, ainda que por um breve momento, talvez para permitir que a pessoa considere a possibilidade de, em vez de agir, fugir e se esconder. Circuitos existentes nos centros emocionais do cérebro disparam a torrente de hormônios que põe o corpo em alerta geral, tornando-o inquieto e pronto para agir. A atenção se fixa na ameaça imediata, para melhor calcular a resposta a ser dada.

Assim o medo é definido pelo psicólogo Daniel Goleman em seu livro Inteligência Emocional – A Teoria Revolucionária que Redefine o que é Ser Inteligente. Em outras palavras, o medo nada mais é que uma reação natural do indivíduo em situações de perigo iminente que exige uma resposta rápida, fato completamente normal que acompanha a humanidade desde os seus primórdios. Porém, em determinados momentos, este medo se apresenta de forma irracional, diante de coisas ou eventos que em nada oferecem perigo. A essas situações chamamos de fobia.

Definição de Fobia

A fobia, segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico das Doenças Mentais (DSM), é definida como um transtorno de ansiedade e acontece quando a pessoa se encontra diante da situação temida ou ainda quando simplesmente se imagina em tal situação. Entre os principais sintomas da fobia estão a taquicardia, aumento da pressão sanguínea, sudorese e angustia.

De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria (APA), 25% da população mundial está sujeita a sofrer algum tipo de fobia. A maioria delas surge ainda na infância ou adolescência, proveniente de algum evento traumático ou situações estressantes. Outro dado apontado pela APA, revela que o desenvolvimento de fobias são influenciadas pelo comportamento dos pais. A estimativa, segundo o estudo, é de que filhos de pais fóbicos têm 15% de chances a mais de apresentar esse comportamento na vida adulta.

Tipos de fobias e suas definições

As fobias podem ser dividias em três grandes grupos, são eles:

1 – Agorafobia: É caracterizada pelo medo de espaços abertos, de multidões ou da dificuldade de escapar rapidamente para um local seguro (geralmente a própria casa). A pessoa com agorafobia costuma ter medo de sair de casa, de viajar sozinha ou mesmo de sentir-se mal em público e não ser socorrida.

2 – Fobia Social: A pessoa tem medo de se expor. Entre as fobias mais comuns neste grupo, estão o medo de comer, falar em público e encontrar alguém do sexo oposto. Algumas pessoas com fobia social também evitam reuniões, festas ou qualquer situação que exija contato com outros. Em casos extremos, a pessoa pode isolar-se completamente do convívio social.

3 – Fobias específicas: Algumas pessoas apresentam medos de coisas ou situações específicas, como medo de dentista (odontofobia), voar de avião (aerodromofobia), altura (acrofobia), baratas (catsaridafobia), aranhas (aracnofobia), fantasmas (espectrofobia), entre tantas outras. Geralmente o medo das pessoas com essas fobias se referem a acontecimentos possíveis, mas improváveis. Um exemplo clássico é a aerodromofobia. Nela, a pessoa tem consciência que o avião é um dos modos de transporte mais seguros, porém imagina que o piloto pode passar mal, a turbina do avião falhar, o trem de pouso não abrir durante a aterrissagem, ou qualquer outro fato que desencadeie na queda do avião.

Hipnose clínica no combate a fobias

O uso da hipnose no combate a fobias é mais antigo do que se imagina, técnica semelhante já foi utilizada pelo médico alemão Franz Mesmer no século XVIII e mesmo por Freud em algumas de suas seções. Durante a sessão de hipnose, o indivíduo permanece num estado de transe, ou seja, de alteração do estado de consciência e, dessa forma, mais sugestionável. Isso permite ao hipnólogo ir na raiz do problema, seus traumas de infância ou experiências ruins guardadas no subconsciente, que o próprio paciente tem medo de enfrentar. Uma vez sugestionado, o indivíduo dá ordens didáticas e específicas para que o paciente vença a barreira do medo e, dessa forma, alcance a cura.

A técnica comumente utilizada pelo hipnólogo para vencer as fobias de seus pacientes é conhecida como Rebobinamento, por meio da qual a pessoa em transe é guiada através de imagens e etapas para rebobinar a fobia, recebendo auxílio do hipnólogo para superar tal medo.

Mais posts

mulher meditando

Respirar bem faz bem

Realizado corretamente, o simples ato de respirar pode eliminar até 80% das toxinas do corpo humano. Controle da ansiedade, redução do estresse, melhores noites de

hipnose

Dez mitos e verdades sobre hipnose

Quando se fala em hipnose, imediatamente surge em nossa mente uma porção de curiosidades e dúvidas sobre este tema. Será que ele vai descobrir os

Newsletter