linguagem corporal Salvador Pedro Castro

A linguagem corporal afeta o modo como os outros nos veem, como nos comunicamos e também pode mudar a forma como nos vemos e nos sentimos.

Segundo a pesquisadora Amy Cuddy, que estuda o comportamento não verbal, manter uma postura de confiança mesmo quando não nos sentimos confiantes pode afetar os níveis hormonais de testosterona e cortisol no organismo, podendo impactar nossa vida pessoal e profissional e aumentar as chances de sucesso. Ela afirma que podemos mudar as percepções de outras pessoas sobre nós, ampliando as oportunidades e convívio social além de elevar a autoestima.

O estudo da Dra. Amy Cuddy pode ser sensacional e fica ainda melhor quando associamos com os conhecimentos do Dr. Paul Ekamn que estuda uma linguagem ainda mais sutil e percebida a nível mais subliminar e inconsciente: as micro-expressões faciais. De acordo com o pesquisador, todas as pessoas apresentam 7 emoções universais e cada uma delas contém suas próprias micro-expressões de face e movimentos musculares específicos.  “Micro-expressões são expressões faciais muito breves, durando apenas uma fração de segundo. Eles ocorrem quando uma pessoa, deliberada ou inconscientemente, oculta um sentimento. Sete emoções têm sinais universais: raiva, medo, tristeza, nojo, desprezo, surpresa e felicidade”,  afirma Ekamn.

Sabe quando você se vê apertando os olhos, franzindo a testa ou apertando os lábios? São esses movimentos que Dr. Ekman chama de micro-expressões.  Agora imagine se fosse capaz de interpretar dentro de um contexto o que essas micro-expressões significam em uma reunião de negócios, uma entrevista de emprego, uma venda e até mesmo um atendimento médico durante a avaliação de um paciente?  Como seria se você pudesse ter uma maior percepção sobre seu corpo, micro-expressões e pudesse mudar a forma como se sente e influenciar positivamente as pessoas ao seu redor?

Através da hipnose somos capazes de aumentar essa acuidade sensorial a ponto de nos conhecermos melhor. O médico americano Milton Erickson, considerado o pai da hipnose moderna  – também conhecida como Hipnose Ericksoniana -, sempre utilizava em suas sessões de hipnose uma leitura fria, não verbal, de linguagem corporal e micro-expressões faciais que ajudava-o a conhecer melhor a pessoa que estava à sua frente e no melhor planejamento e resultados dos seus tratamentos.

Uma pessoa em hipnose pode experimentar uma variedade de fenômenos. Nem todos são percebidos por todas as pessoas na hipnose, portanto, não se deve descartar a presença do transe se alguns sinais estiverem ausentes. Muitos sinais de hipnose são sutis e podem ser reconhecidos por um hipnoterapeuta experiente com conhecimento na leitura de micro-expressões.

Alguns desses sinais sutis que podemos perceber em hipnose são:

Relaxamento muscular

Mais perceptível na expressão facial, onde por exemplo, as bochechas se apresentam caídas e a testa mais lisa. Uma pessoa em hipnose tem uma expressão mais suave no rosto. Também é possível observar, numa posição deitada, os pés separados, caracterizando também esse estado.

Olhos

Uma pessoa em hipnose pode piscar mais lentamente e apresentar um sinal de tremor nas pálpebras no início do transe, os olhos rolam pra cima mostrando a esclera (parte branca) e um aumento de lacrimejamento. Os olhos vermelhos também caracterizam o transe.

Mudanças na respiração também podem ser observadas, além de mudanças no tom da pele podendo ficar mais ruborizados (vermelhos) ou esquêmicos (brancos), redução da deglutição apesar do aumento de salivação e mudanças na pulsação de veias e artérias.

Depois de tanta informação, talvez esteja perguntando como a hipnose pode influenciar na melhora e mudanças da linguagem não verbal e micro-expressões, certo? Ao estar mais consciente sobre a forma como se move, posturas ao ficar em pé ou sentado e até atuação profissional é possível, através da hipnose, remover tensões, bloqueios, flexibilizar crenças e criar consciência de como está seu corpo e aliar a técnicas de ensaio mental para obter um comportamento desejado. Isso pode lhe ajudar a obter comportamentos mais positivos ao invés de simplesmente fingir.

Gostou do texto? Quer aprofundar seus conhecimentos acerca do tema? No dia 12 de maio acontece na Arcadia Institute, das 09h às 18h, um curso sobre micro-expressões com o trainer Pedro Castro.